Aston Martin coloca em hiato programa de Endurance

A montadora iria estrear o Valkyrie esse ano em Silverstone

A Aston Martin anunciou na terça-feira (18) que está suspendendo a sua participação no WEC (World Endurance Championship). A decisão foi tomada após a notícia de que os regulamentos para protótipos do WEC e IMSA seriam fundidos.

O que era uma notícia ótima para os fãs parece não ter agradado os ingleses. Os protótipos que competem em Le Mans são diferentes dos que competem nas 24h de Daytona (por exemplo), fazendo com que se uma montadora quisesse competir nas duas corridas, ela deveria projetar dois carros diferentes.

A fusão dos regulamentos provavelmente significaria mudanças no projeto do Valkyrie, carro com o qual a Aston Martin disputaria o WEC, e as novas regras já estarão em vigor a partir do segundo semestre de 2021.

Além disso, a marca estará retornando à Fórmula 1 como uma equipe de fábrica graças a Lawrance Stroll, dono da Racing Point e que virou acionista da montadora britânica. A Aston não ingressava na F1 como montadora desde a década de 60. Segundo ela, os esforços agora serão focados nas categorias mais altas de monopostos e de GTs, já que ela ainda continuará no WEC com o Aston Martin Vantage, competindo nas categorias GTE Pro e GTE Am.

Aston Martin de F1 de 1960

Aston Martin de F1 de 1960

O que diz a FIA e o WEC

O anúncio da Aston Martin veio seguido de um anúncio do próprio WEC, FIA e ACO (Automobile Club de l’Ouest), organizadores do campeonato de endurance e de Le Mans.

De acordo com as entidades, a saída da marca é lamentável mas não inesperada, já que é conhecido que a marca vem apresentando "fragilidade na exposição sua no mercado automotivo em rápida evolução", e claro, com o anúncio de competir na Fórmula 1.

Pierre Fillon, presidente do ACO foi ainda mais específico, dizendo que as dificuldades financeiras da marca já levantavam dúvidas sobre os seus programas de automobilismo.

Join In

Comments (0)

    YOU MIGHT ALSO LIKE

    0